Gadget

This content is not yet available over encrypted connections.

Gadget

This content is not yet available over encrypted connections.

Tuesday, June 29, 2010

a espremedora agenda macondo lugar

Quinta 01/07 - Femme Fatale

A nata da música pop nas vozes das divas e anti-divas mais atrevidas da história: na pista, Amy, Blondie, Gossip, Madonna, Cindy Lauper e, claro, ela...

Início: 23h
Ingresso: R$ 7
Free para estudantes até a meia-noite
Moças não pagam a noite inteira


Sexta 02/07 - Ventores toca os Clássicos do Indie Rock

Os Ventores sobem ao palco do Macondo pra homenagear o fino da música Indie do século XXI: Interpol, Kooks, KIngs of Leon e Arctic Monkeys.

Início: 23h
Ingresso: R$ 8
Free para estudantes até meia -noite


Sábado 03/07 - Faichecleres (PR)

Uma das bandas mais explosivas do rock nacional volta ao palco do Macondo para alegria dos roqueiros e roqueiras da cidade. Os curitibanos da Faichecleres prometem uma aula de rock n'roll...simplesmente imperdível!

Início: 23h
Ingresso: R$ 10 (até a meia-noite)
e R$ 13 (depois da meia-noite)






--


www.macondocoletivo.com
www.macondolugar.com.br

Monday, June 28, 2010

"Aquele que Diz" Sábado - 03/07 no Ateliê da Gare

O Grupo Teatral "Por Que Não?" está com tudo no Palco Fora do Eixo SM! Uma das apostas do grupo está na história de uma misteriosa epidemia, que assola uma cidade. Baseado na dramaturgia de Aquele que diz sim / Aquele que diz não, de Bertold Brecht, a peça conta a trajetória de um menino que, vendo sua mãe doente, decide partir, acompanhado de seu professor, em uma perigosa jornada em busca de remédios e instruções para curá-la.

A princípio está disposto a tudo, mas ele não possui consciência da real profundidade dos problemas com os quais irá se deparar. Saberá ele julgar o valor de uma vida? De várias? E de vidas diferentes?

O espetáculo será realizado no Ateliê da Gare, dia 03 de julho as 20h, ingressos a R$ 5 ou R$3 + 1Kg de alimento (encaminhado para o Projeto Mesa Brasil do Sesc).

A venda com o grupo ou pelos telefones: 9633-8309 (Cláudia) ou 9642-1941 (Deivid). Maiores informações acesse: http://www.palco.foradoeixo.org.br/


Ficha Técnica:

Criação e atuação: Deivid Machado Gomes
Iluminação: Deivid Machado Gomes
Operação de luz: Luiza De Rossi
Sonoplastia digital Pro-53: Rafael Berlezi
Harmonia e violão: Darwin Pillar Corrêa
Letra: Deivid Machado Gomes
Projeções & Still: Fernando Codevilla
Duração: 35 min.

Estréia da auto-ficção "Dias no tempo" 30/06 Cineclube Lanterninha Aurélio

Cineclube Lanterninha Aurélio
Projeto Cultural CESMA - Santa Maria/RS - Desde 1978
Filiado ao CNC - Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros

No dia 30 de junho, às 19h, no Auditório da CESMA – Cineclube Lanterninha Aurélio, os dias passarão em uma enorme tela, bidimensional, audiovisual e cinematográfica.

Um documentário? Talvez não exatamente. Ou uma autoficção?

Quem estiver na sessão de estréia da obra audiovisual Dias no tempo entenderá porque é uma obra de difícil definição.

Rodado quase em sua totalidade na Argentina, principalmente em Buenos Aires, obra parte de uma narrativa autorreferencial como forma de recuperação da memória familiar.

Das relações de sua família com o pais vizinho e de sua experiência em Buenos Aires, Carolina Berger promove uma série de conexões entre Brasil e Argentina, entre o campo e a cidade, entre a memória e a imaginação. Um experimento que coloca em cena a diluição dos conceitos de identidade e realidade.

Na trilha sonora original, uma leitura da relação entre a musicalidade do Rio Grande do Sul e da Argentina. A trilha foi composta e executada por Pirisca Grecco, vencedor do Prêmio Açorianos, categoria disco regional, com a obra "Comparsa Elétrica".

O documentário foi parcialmente produzido com recursos e suporte da Universidad del Cine (Argentina), uma das mais importantes escolas de cinema da América Latina.

A finalização e a distribuição de Dias no tempo foram financiadas pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria.

A sessão de estréia será gratuita e contará com a presença de diretora e parte da equipe de realização do documentário/auto-ficção.

O evento também marca o encerramento das atividades de aniversário da 32 anos da Cesma e do Cineclube Lanterninha Aurélio.


Sinopse

“É no mínimo curioso o fato de eu estar vivendo aqui, de estar nesta esquina, vendo outro prédio no lugar do imponente hotel onde ele costumava ficar.”

Foi na esquina celebrada pelo tango “Corrientes y Esmeralda” que Carolina passou a se questionar sobre o fato de estar vivendo em Buenos Aires.

Naquela esquina ficava o hotel onde seu bisavô parava, em suas longas estadas na capital argentina, há 60, 70 anos.

Distante de casa, distante da Buenos Aires conhecida por outras gerações de sua família, Carolina passa a buscar, na cidade de sua experiência,resquícios de outros tempos. O que encontra é uma metrópole latino-americana onde a solidão é a implacável resposta para quem espera sentir-se em um lugar familiar.

Dias no tempo parte de uma história privada para construir uma autoficção que, em tom de ensaístico, promove uma série de conexões entre Brasil e Argentina, entre o campo e a cidade, entre a memória e a imaginação. Um experimento que coloca em cena a diluição dos conceitos de identidade e realidade.






Ficha técnica

Dias no tempo (Documentário/auto-ficção, digital, 2010, 37’, cor e preto e branco, Brasil e Argentina)


Roteiro
Carolina Berger

Direção e Produção
Carolina Berger

Direção de fotografia e câmera
Carolina Berger
Jorge Flores Velasco
Gomar Fernández (Super-8)

Trilha Sonora Original
Pirisca Grecco

Edição
Carolina Berger

Desenho de som e Mixagem
Cristiano Scherer

Coordenação de Pós-produção
Álvaro de Carvalho Neto

Pós-produção de imagem
Álvaro de Carvalho Neto

Revisão de textos
Silvana Dalmaso

Produção gráfica
Roberto Borges


Financiamento

UNIVERSIDAD DEL CINE



LEI DE INCENTIVO À CULTURA - PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA


Patrocina a estréia:

VINÍCOLA DOM ROBERTTO




Apoio à estréia:

CESMA



CINECLUBE LANTERNINHA AURÉLIO



ZAMPANO - COMIDAS ARTESANAIS





--

Cineclube Lanterninha Aurélio

Debates e sessões - quartas-feiras - 19 horas - Entrada Franca
Auditório João Miguel de Souza
Rua: Professor Braga, 55 - 3º andar - Centro - Santa Maria / RS

55 3221 9165
55 322 8544


cineclubelanterninhaaurelio@gmail.com
www.twitter.com/cinelanterninha
www.cineclubelanterninhaaurelio.blogspot.com

Friday, June 25, 2010

Agenda do Macondo Lugar

Memphis apresenta seu repertório de clássicos do rock na sexta-feira. Além de Bob Dylan, Lynyrd Skynyrd e Stones, a banda apresenta uma novidade: um bloco inteiro dedicado aos Beatles. Ingressos a R$ 8,00. Estudantes não pagam até a meia-noite.

abanda Apanhador Só (Porto Alegre) sobe aos palcos do Macondo. Formado por Alexandre Kumpinski (voz e guitarra), Felipe Zancanaro (guitarra), Fernão Agra (baixo) e Martin Estevez (bateria), o grupo vem rapidamente se destacando na cena musical do país. Este ano eles lançaram seu primeiro CD, que está disponível para download no site oficial da banda. www.apanhadorso.com

Todas as festas iniciam às 23h. O Macondo Lugar fica na rua Serafim Valandro, número 643.

Cesma apresenta: Red House*

Cesma apresenta: Red House*

Show de lançamento It's Not Raining Yet*

25 de junho de 2010 - Sexta, 19 h Local: Auditório da Cesma Ingressos: 05,00 (apenas ticket apresentação) * 15,00 (ticket + CD)

Realização: Cesma


Cineclube Unifra

O Cineclube Unifra apresenta, dentro do ciclo Chá, café ou chocolate?, o filme Sobre Café e Cigarros, de Jim Jarmusch. Composto por 11 curtas-metragens, o longa levou inacreditáveis 17 anos para ficar pronto. A primeira história, filmada em 1986, é protagonizada pelo italiano Roberto Benigni. O restante do elenco conta com nomes conhecidos, como Cate Blanchett, Steve Buscemi e o roqueiro Iggy Pop. Divertido e em tom quase informal, as conversas transitam sobre os mais variados assuntos.

A sessão cinematográfica acontece às 16hs, no Salão Azul do Conjunto I (Rua Andradas, número 1614). A entrada é franca.

O Afogado Mais Bonito do Mundo

Teatro Fora do Eixo

O Programa de Extensão da UFSM O Teatro Fora do Eixo retoma suas atividades. As apresentações são gratuitas e acontecem sempre às 20h30min. Confira, a seguir, a programação para o fim-de-semana:

O Afogado Mais Bonito do Mundo
O espetáculo localiza uma vila de pescadores, perdida em um lugar remoto, que recebe do mar um volume escuro e silencioso, um afogado. Enquanto os homens buscam por informações sobre o afogado nas redondezas, as mulheres o preparam para o sepultamento, ao mesmo tempo em que cuidam e fantasiam sua vida fora dali.

25 de junho (TUI - Teatro Universitário Independente - Espaço Cultural Victorio Faccin)

Criação e Atuação: André Galarça
Sonoplastia: Thiago Theobald
Iluminação: Juliana Bassaco
Operação de Iluminação: Juliet Castaldello
Figurinos: Tânia Galarça
Maquiagem: Aline Ribeiro


TV OVO ABRE INSCRIÇÕES PARA A OFICINA DE REALIZAÇÃO AUDIOVISUAL

Planos de gravação, enquadramentos, movimentos de câmera, roteiro e edição são alguns dos temas a serem tratados na Oficina de Realização Audiovisual que a Oficina de Vídeo - TV OVO está preparando. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas na sede da TV OVO - Casa de Cultura, sala 26 - das 14h às 18h, até o dia 2 de julho. Serão oferecidas 15 vagas e a taxa única de inscrição é de R$30,00. As aulas serão ministradas por Marcos Borba.

O objetivo da oficina é apresentar noções básicas de teoria e prática audiovisual, além de estimular uma visão crítica e criativa das produções de cinema, televisão e vídeo e também, valorizar aspectos da cultura santamariense.
Durante os encontros, que irão ocorrer todos os sábados, até o dia 4 de setembro, das 9h às 12h, serão produzidos pelo menos, três mini-documentários.

A iniciativa faz parte das comemorações dos 14 anos da TV OVO, que ao longo do tempo se tornou uma referência de formação na área audiovisual. Atualmente, com o Focu - Pontão Fomento Cultural, a equipe da TV viaja por Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul ministrando oficinas para integrantes de pontos de cultura.


Serviço:

que: oficina de realização audiovisual
quando: inscrições abertas até o dia 2 de julho.


Início das aulas 3 de julho.
onde: na sede da Oficina de Vídeo TV OVO, na Casa de Cultura, sala 26.
quanto: R$30,00 a inscrição (taxa única)


Informações:no email tvovo@tvovo.org

no telefone (55) 3026 3039 e no site www.tvovo.org

Thursday, June 24, 2010

GUERRA CONTRA O ECAD JÁ!




Companheir@s

Creio que o ECAD ultrapassou todos os limites da civilidade e do bom senso.

Neste sentido proponho que iniciemos imediatamente uma mobilização nacional contra a ação deste monopólio.

Creio que podemos contar também com o apoio de amplos setores da sociedade que como nós tem sido vitimados pela ação do ECAD.

Informo ainda que na qualidade de secretário do CNC, já iniciei contato com alguns advogados parceiros visando saber da possibilidade de ingressarmos com alguma medida legal (tipo mandato de segurança) que de garantias prévias aos cineclubes contra a ação do ECAD.

É isso....GUERRA CONTRA O ECAD JÁ!

Pimentel

---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Jose Vaz de Souza Filho
Data: 23 de junho de 2010 18:14
Assunto: ENC: Cancelamento Cineclube Ação da Cidadania
Para: João Batista Pimentel Neto


De: João Guerreiro [mailto:jguerreiro@acaodacidadania.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 23 de junho de 2010 14:13
Para: João guerreiro
Assunto: Cancelamento Cineclube Ação da Cidadania


Prezada(o)s,


É com enorme desgosto que estamos cancelando o lançamento do Cineclube Ação da Cidadania. Na verdade, tratava-se do lançamento no novo formato visto que fomos contemplados, através de Edital Público, no Projeto Cine Mais Cultura do Ministério da Cultura, com o kit Telão, Projetor, Caixa e Mesa de Som, e filmes disponibilizados pela Programadora Brasil ("um programa da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, desenvolvido por meio da Cinemateca Brasileira e do Centro Técnico do Audiovisual (CTAv)").

Trata-se, portanto, de um projeto de convergência entre políticas públicas de formação e disponibilização obras NACIONAIS para formação de público crítico e que permite a difusão de culturas diversificas ladeado com segmentos da sociedade civil que tem o mesmo objetivo - caso da Ação da Cidadania.

Entretanto, fomos surpreendidos hoje pela manhã, com um telefonema do ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição, uma sociedade civil, de natureza privada) informando que seria cobrado uma taxa de direitos autorais pela exibição. A exibição seria gratuita, o público alunos das escolas públicas da rede municipal do entorno do Centro Cultural Ação da Cidadania e jovens do Morro da Providência. A exibição seria feita por dois voluntários da Ação da Cidadania, o espaço (reformado para o Cine Mais Cultura com recursos de nossa entidade) e a eletricidade seriam nossa contrapartida. Nada disso comoveu o ECAD.

Assim, tivemos, dolorosamente, que cancelar o Cineclube, nos desculparmos com a Profª. Adriana Faccina e com o MC Leo (debatedores que viriam com seus próprios recursos ao CCAC) e pedir desculpas às crianças e aos jovens do Morro da Providência.

Gostaríamos, também, de nos desculparmos com você que por ventura esteja à caminho.

O que faremos daqui para frente? Ainda não sabemos. Esperamos apenas que exista bom senso entre o legal e o justo. Pois, entre os dois estamos, como sempre estivemos, com os milhões de excluídos socioculturais deste imenso Brasil.


João Guerreiro
Coordenador de Ações Culturais
Ação da Cidadania
Tel. (21) 2233-7460 e 8117-0763
jguerreiro@acaodacidadania.com.br
www.acaodacidadania.com.br

Wednesday, June 23, 2010

Ponto de Mutação - 23/06 - Ponto de Mutação

Cineclube Lanterninha Aurélio
Projeto Cultural CESMA - Santa Maria/RS - Desde 1978
Filiado ao CNC - Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros

Enceramento do Ciclo: Eu consumo, tu consomes... o mundo

23/06/2010
Ponto de Mutação
EUA, 1990, 110 min
Direção: Bernt Capra


Um político estadunidense vai à França visitar um velho amigo poeta.
Lá, conhecem uma cientista desiludida com os rumos tomados pela
ciência. Após descobrir que suas pesquisas com microlasers estavam
sendo utilizadas no projeto americano Guerra nas Estrelas, ela decidiu
isolar-se em um vilarejo francês para repensar a vida. E nesse
encontro , juntos, tecem uma profunda discussão sobre ecologia,
guerra, política e filosofias alternativas para o século XXI

Baseado no livro beste-seller The Turning Point (Ponto de Mutação) do
físico austríaco Fritjof Capra




--

Próxima Exibição

30/06/2010
Lançamento do documentário "Dias no tempo"
Direção: Carolina Berger

Digital, 2010, 37', cor e preto e branco, Brasil e Argentina

--

Cineclube Lanterninha Aurélio / CESMA Vídeo

Debates e sessões - quartas-feiras - 19 horas - Entrada Franca
Auditório João Miguel de Souza
Rua: Professor Braga, 55 - 3º andar - Centro - Santa Maria / RS

55 3221 9165
55 322 8544


cineclubelanterninhaaurelio@gmail.com
www.twitter.com/cinelanterninha

Thursday, June 17, 2010

3º Fetism - Programação de Hoje - Abanico de Soltera

Este ano, o 3º Festival de Teatro Independente de Santa Maria, Fetism, ocorre entre os dias 10 e 19 de junho. O Festival foi aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria e contará com uma programação diversificada e gratuita para a comunidade. A seguir, a programação para hoje (17):

Peça Abanico de Soltera às 20h30min no Theatro Treze de Maio
O grupo Tea Teatro de Buenos Aires apresenta a peça onde os textos se desfolham como a flor que murcha à espera do amor. Uma mulher lança-se ao abismo do universo nova iorquino. A música tece as recordações que, como retalhos desgastados pela memória, se misturam com a poesia. O espetáculo é uma homenagem a um dos maiores poetas de língua espanhola da história Frederico García Lorca.

Abanico de Soltera inicia às 20h30min no Theatro Treze de Maio. A entrada é franca.

Realização: Tea Teatro (Buenos Aires)
Direção: Horacio Medrano
Texto e Interpretação: Andrea Juliá
Assistente de Direção: Rodrigo Medrano
Manipulação de Objetos: Itatí Figueroa
Cenografia: Martín Parede e Miguel Angel Nigro
Figurino e Objetos Cênicos: Miguel Angel Nigro
Música: Gustavo Testa
Assessoramento de Flamenco: Perla Fernández
Duração: 55 minutos

www.abanicodesoltera.blogspot.com

Essa é a segunda apresentação da peça na cidade. Em 2008, Abanico de Soltera foi vista por poucos espectadores no Teatro Caixa Preta, na UFSM.

O Festival de Teatro Independente de Santa Maria é promovido pelo Macondo Coletivo, sob coordenação de Cláudia Schulz e Vanessa Giovanella. Na sua terceira edição, o festival conta com uma cobertura colaborativa. Mais informações no blog do Fetism

www.fetism.blogspot.com

fonte >> http://coralx.ufsm.br/fazendoarte/alfa/news.php?readmore=1332

Wednesday, June 16, 2010

II Mostra de Filmes de Filosofia

A II Mostra de Filmes de Filosofia da UFSM, com o tema Incomunicabilidade e Solidão, continua nesta semana. As sessões serão às 19h, no prédio do CCSH, no campus (prédio 74, 3º andar, sala 2323). As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas nos dias do evento, no local.

Após cada exibição serão realizados comentários com discussões sobre os filmes. Também serão emitidos certificados: dos oito filmes exibidos durante a Mostra será preciso assistir cinco para recebimento de certificado com carga horária de 32 horas.

Programação:

18 de junho (sexta-feira) - O Cuco (Kukushka - Rússia, 2002, 99 min)
Direção: Aleksandr Rogozhkin
Comentários: Prof. Paulo de Tarso Andrade Aukar

23 de junho (quarta-feira) - O Nome da Rosa (Der Name der Rose - França/Itália/Alemanha, 1986, 130 min)
Direção: Jean-Jacques Annaud
Comentários: Prof. Noeli Dutra Rossatto (Filosofia, UFSM)

1º de julho (quinta-feira) - Na Natureza Selvagem (Into the Wild - Estados Unidos, 2007, 148 min)
Direção: Sean Penn
Comentários: Prof. Frank Thomas Sautter (Filosofia, UFSM)

5 de julho (segunda-feira) - Cortina de Fumaça (Smoke - Estados Unidos, 1995, 112 min)
Direção: Wayne Wang
Comentários: Prof. Rogério Passos Severo (Filosofia, UFSM)

9 de julho (sexta-feira) - Ther Ister - Parte I (Austrália, 2004, 102 min)
Direção: David Barison & Daniel Ross
Comentários: Prof. Fernando Fragoso

12 de julho (sexta-feira) - Ther Ister - Parte II (Austrália, 2004, 87 min)
Direção: David Barison & Daniel Ross
Comentários: Prof. Róbson Ramos dos Reis (Filosofia, UFSM) e Prof. Ernildo Stein (PUC-RS)

Cultura na SEDUFSM

O projeto Cultura na SEDUFSM retoma sua programação nesta quarta-feira, às 19h, com a exibição do documentário Cidadão Boilesen.

O filme resgata a ação do empresário dinarmaquês Henning Boilesen, que no início dos anos 1970 era o presidente do importante grupo empresarial Ultra, no Brasil. Através de dezenas de depoimentos, o roteiro aponta para Boilesen como um dos articuladores na busca de recursos privados para o financiamento da Operação Bandeirante (Oban) de repressão aos grupos armados que lutavam contra a ditadura.

Logo após a exibição, haverá espaço para os convidados fazerem os comentários. Participam da mesa de debates o professor do curso de Direito da UFSM, José Luiz de Moura Filho; o professor do curso de História da UFSM, Diorge Konrad e o jornalista e diretor do Sindicato dos Bancários de Santa Maria, César Santos. A coordenação das discussões ficará a cargo do professor Vitor Biasoli, do curso de História da UFSM.

O evento ocorre no auditório da SEDUFSM, localizado na rua André Marques, 665.
A entrada é franca.

3º Fetism - Programação de Hoje

Ao Divagar se Vai Longe e de Bicicleta Mais Ainda...

Este ano, o 3º Festival de Teatro Independente de Santa Maria, Fetism, ocorre entre os dias 10 e 19 de junho. O Festival foi aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria e contará com uma programação diversificada e gratuita para a comunidade. A seguir, a programação para hoje (16):

Peça Ao Divagar se Vai Longe e de Bicicleta Mais Ainda... às 16h, na Praça Saldanha Marinho:
E tudo sobre verdadeira história de amor entre Camomila e Quindim!! Desde quando incessantemente pedalavam pelas ruas a procura do lugar perfeito. Até o justo momento em que encontraram e, diante a todo um público, já nem sabiam mais o que buscavam! O momento em que, entre malas, malabarismos e acrobacias, eles descobrem sobre tudo o que sempre esteve bem ali, debaixo de seus próprios narizes vermelhos... Eles se amam a adoram andar de bicicleta!

Realização: Cia Umpédedois (Porto Alegre)
Artistas: Mariana Ferreira e Mauro Bruzza
Orientação Inicial: Melissa Dornelles
Figurinos: Patrícia Preiss
Duração: 50 minutos


Fonte >>

http://coralx.ufsm.br/fazendoarte/alfa/news.php?readmore=1329

Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria (Cesma) 32 anos

Em 1978, o Brasil ainda respirava o ar sufocado da era de governos militares iniciada em 1964. O País vivia a “abertura lenta e gradual” de Ernesto Geisel enquanto a caserna articulava a continuidade de outro general no poder, no caso João Batista Figueiredo. Em 16 de junho de 1978, o então deputado santa-mariense Nelson Marchezan era confirmado na assessoria da campanha daquele que seria o último presidente militar. A notícia estampou a capa da edição de A Razão daquele dia já distante. Na mesma edição, o reitor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Derblay Galvão, recebia, em seu gabinete, a visita de formandos do Curso de Administração Escolar da Faculdade Imaculada Conceição, a FIC, que daria origem ao atual Centro Universitário Franciscano. Num ato de gentileza, o grupo fora convidar o reitor para a formatura que ocorreria dali a alguns dias.

Na Coluna Social, o badalado cabeleireiro Oy Pavão narrava, na condição de colunista interino, em pequenas notas o dia-a-dia (e também à noite) de colunáveis e beldades. As festas tinham lugar de destaque. Júlio Monteiro, outro colunista, também exibia moças bonitas, falava de festas, acontecimentos beneficentes e afins.
Na noite daquele mesmo 16 de junho de 1978, Arquimedes Brum, professor de Física do Maneco (Colégio Manoel Ribas), participava, na condição de convidado (ou olheiro), da assembleia de fundação da Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria (Cesma). A ousadia de um grupo de universitários da Federal não chegou a ser notícia na época. Ou ao menos não teve repercussão.

Todos os fatos até aqui descritos são verídicos, com exceção da presença de Arquimedes na fundação da Cesma. O professor de Física é o personagem fictício do romance Arquimedes, que será lançado, às 17h30 de hoje, na sede da Cesma (Professor Braga, 55), exatamente 32 anos após a criação da cooperativa. A obra coletiva foi escrita pelos escritores santa-marienses Athos Ronaldo Miralha da Cunha, Antônio Cândido de Azambuja Ribeiro (cronista de A Razão), Tânia Lopes, Raul Giovani Cezar Maxwell, Orlando Fonseca, Humberto Gabbi Zanatta, Aguinaldo Medici Severino e Pedro Brum Santos (cronista de A Razão) e narra um único dia, no caso de 16 de junho de 1978, de Arquimedes. O Jornal A Razão, aliás, é citado mais de uma vez no livro.

O romance é inspirado em Ulysses, obra do escritor irlandês James Joyce que narra as peripécias do personagem Leopold Blomm no dia 16 de junho de 1904. Os escritores santa-marienses resolveram homenagear Joyce com uma paródia e criaram Arquides (Editora Movimento, 102 páginas, à venda na Cesma). Na orelha, Athos Miralha explica que o grupo não teve a pretensão de plagiar ou “se igualar” a Joyce, mas sim homenageá-lo.
Bloomsday – O dia 16 de junho é considerado especial pelos aficcionados por James Joyce, em particular os que se encantaram com Ulysses, sua mais conhecida obra. Em várias partes do mundo a data vira uma festa literária.

Em Santa Maria, o Bloomsday começou a ser comemorado em 1994, numa iniciativa de Aguinaldo Medici Severino, professor de Física da UFSM. E hoje, com Arquimedes, os fãs de Joyce têm um motivo a mais para comemorar na Boca do Monte.




www.arazao.com.br/2010/06/15/o-que-voce-fez-em-16-de-junho-de-1978/

Bloomsday Santa Maria 2010


"Bloomsday: the day on which James Joyce"s masterpiece Ulysses is set"

O Bloomsday é um feriado comemorado em 16 de junho na Irlanda em homenagem ao livro Ulisses, de James Joyce. É o único feriado em todo o mundo dedicado a um livro, excetuando-se a Bíblia. O elo comum entre os muitos dedicados entusiastas e simpatizantes envolvidos nestas comemorações é o esforço por relembrar os acontecimentos das aproximadamente 18 horas vividas pelos personagens do Ulysses no dia 16 de junho de 1904.

O Bloomsday é comemorado na Irlanda e pelos amantes da literatura com diversos eventos oficiais e não oficiais. Também é comemorado todos os anos em vários lugares e em várias línguas, incluindo Santa Maria. Este ano a comemoração na cidade chega a sua 17ª edição.

Confira, a seguir, a programação:

14h30min - Telemaquia (abertura, história, apresentação, homenagem, invocação)
Local: Café da CESMA no Centro Cultural CESMA
Bloomsday Santa Maria, ano XVII
Leitura das efemérides
Curta História: Ponto de Cinema Bar (19 anos) e CESMA (32 anos)
Bloomsday (1904 - 2010) - 106 anos de paixão: Nora Barnacle & James Joyce

15h30min - Odisséia (lançamento de livro, irish coffe e leituras)
Local: Café da CESMA no Centro Cultural CESMA

17h30min - Lançamento do romance Arquimedes, autoria coletiva de Antônio Cândido de Azambuja Riveiro, Tânia Lopes, Raul Giovani Cezar Maxwell, Orlando Fonseca, Humberto Gabbi Zanatta, Aguinaldo Medici Severino, J.J. e Pedro Brum Santos.
Os autores admiram a obra de James Joyce e, assim, o homenageam neste livro.

18h30min - Nostos (leituras de vários Ulysses, múltiplos Joyce e poesia contemporâneas)
Local: Ponto de Cinema Bar
Leituras possíveis de trechos do Ulysses em português, inglês, francês, italiano, espanhol, catalão, russo e alemão.
Leituras comparativas de trechos do Ulysses em Português: tradução de Antônio Houaiss (Editora Civilização Brasileira), tradução de Bernardina Pinheiro (Editora Objetiva), tradução de João Palma-Ferreira (Editora Livros do Brasil).
Leituras de trechos de muita outra boa prosa e boa poesia

21h30min - Encerramento "O Ponto de Cinema pede passagem..."

A organização do Bloomsday é do professor Aguinaldo Severino, em parceria com a Cooperativa de Estudantes de Santa Maria (CESMA) e o bar Ponto de Cinema. Mais informações pelo e-mail bloomsday.santamaria@gmail.com

a dramatúrgica agenda macondo lugar


Quinta 17/06 - Sobretudo Blues & Sangue de Pedra


Venha conferir duas novidades da cena roqueira da cidade. Discotecagem de rock clássico e modernidades afins.

Início: 23h
Ingresso: R$ 6
Free para estudantes até a meia-noite


Sexta 18/06 - Tributo aos Cascavelletes

A banda Jogo Sujo homenageia os reis da chinelagem gaúcha. No repertório, clássicos como Jessica Rose, Gato Preto e Sob um Céu de Blues.

Início: 23h
Ingresso: R$ 8
Free para estudantes até a meia-noite


Sábado 19/06 - A Noite do Galo Preto


O melhor da música brasileira de raíz no salão do Macondo, para gastar a sola da sandália...

Início: 23h
Ingresso: R$ 7

Tuesday, June 15, 2010

Macondo Cineclube apresenta: A face e a Máscara, nesta terça-feira


Integrando o 3º FETISM
Macondo Cineclube Apresenta:


A Face e a Máscara

A força da luz, da sombra, da cor, na composição de um personagem; exercícios de relaxamento, expressão corporal, colocação de voz, maquiagem; vários momentos de um ator, do camarim ao palco.

A Face e a Máscara é um filme que compõe o DVD Programa 22, da Programadora Brasil, uma série de curtas que revela um importante percurso didático pelas diversas faces da arte teatral. Das primeiras etapas de preparação de uma montagem (escolha do texto, leitura e ensaio) à estréia de um espetáculo, passando pelas peculiaridades arquitetônicas do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e pelos fundamentos do gênero.

O programa trata ainda de aspectos históricos como a fundação de companhias como o Teatro Brasileiro de Comédia e o Teatro de Arena, além de assinalar a dramaturgia e os novos métodos de produção do teatro brasileiro moderno.

A Programadora Brasil é um programa da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, desenvolvido por meio da Cinemateca Brasileira e do Centro Técnico do Audiovisual (CTAv). Seu objetivo é a disponibilização de filmes e vídeos para pontos de exibição audiovisual (escolas, universidades, cineclubes, centros culturais, pontos de cultura) de circuitos não-comerciais para promover o encontro do público com o cinema brasileiro.


Esta Sessão integra a programação do 3º FETISM e conta com o apoio do Cineclube Lanterninha Aurélio.


Ficha de Informações do Filme
Título: A Face e a Máscara
Duração: 15 min e 0 seg.
Ano: 1974
Cidade: UF(s): RJ País: Brasil
Gênero: Documentário
Subgênero: Suspense
Cor: Colorido
Ficha Técnica
Direção: Vicente Marques
Roteiro: Vicente Marques
Elenco: Breno Moroni, Mario Telles, Daniela Santi, Izio Fucks e Jorge Riscado.
Empresa(s) Co-produtora(s): Curso Prático de Cinema FEFIEG / Embrafilme
Direção Fotografia: José Mauro
Operador de Câmera: Paulo Jorge de Souza
Fotografia de Cena: Não
Montagem/Edição: Italo di Bello
Técnico de Som Direto: José Frade
Trilha Musical: Não
Trilha Original: Não
Descrições das Trilhas: Seleção musical: Remo Usai


Nesta terça, 15 de junho.

Macondo abre às 19:30.

Exibição do filme às 20 horas.

Entrada franca

José Lutzemberger e O Mundo segundo a Monsanto - Cineclube Lanterninha Aurélio

Cineclube Lanterninha Aurélio
Projeto Cultural CESMA - Santa Maria/RS - Desde 1978
Filiado ao CNC - Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros

Ciclo: Eu consumo, tu consomes... o mundo.
Em pareceria com o Projeto Sala Verde do Ministério do Meio Ambiente e da SV - Comitê Ambiental da CEU II – Universidade Federal de Santa Maria.


16/06/2010
Série: Memórias do Meio Ambiente
Episódio: José Lutzemberger - um pioneiro em Gaia
Brasil, 2002, 32 min
Direção: Anna Terra e Ricardo Carvalho Brasil


Ecologia e Comunicação em parceria com TV Cultura de São Paulo.
Escolhida como Melhor Série Televisiva pelo resgate da vida e da obra de personagens fundamentais à compreensão do movimento ambientalista brasileiro, num trabalho que também foi especialmente formatado para uso em salas de aula, com material didático apropriado.

Lutzenberger foi um pioneiro. No início dos anos 70 já falava do planeta como um ser vivo e apresentava aos brasileiros a Teoria de Gaia.
Alertava para os perigos de maltratar este ser vivo do qual fazemos parte e com rara coragem se expunha e brigava contra os poderosos usando suas armas preferidas: o profundo conhecimento científico, a precisão da palavra e a emoção de quem defende a vida. Sua luta mais recente tinha como alvo os transgênicos.

Não teve tempo de divulgar seus escritos contundentes contra esta prática que coloca em risco a produção de alimentos no planeta e pode acabar de vez com o pequeno agricultor. Mas deixou herdeiros de seus conhecimentos e, acima de tudo, de sua coerência. Os brasileiros conscientes e as gerações futuras agradecem e reverenciam José Lutzenberger, um pioneiro em Gaia.





O Mundo segundo a Monsanto (Le monde selon Monsanto)
Direção: Marie-Monique Robin
Paris , 2008, 109 min


O documentário "O Mundo segundo a Monsanto" traça a história da principal fabricante de organismos geneticamente modificados (OGM), cujos grãos de soja, milho e algodão se proliferam pelo mundo, apesar dos alertas de ambientalistas.
A diretora, a francesa Marie-Monique Robin, baseou seu filme - e um livro de mesmo título - na empresa com sede em Saint-Louis (Missouri, EUA), que, em mais de um século de existência, foi fabricante do PCB (piraleno), o agente laranja usado como herbicida na guerra do Vietnã, e de hormônios de aumento da produção de leite proibidos na Europa.

O documentário destaca os perigos do crescimento exponencial das plantações de transgênicos, que, em 2007, cobriam 100 milhões de hectares, com propriedades genéticas patenteadas em 90% pela Monsanto.

A pesquisa durou três anos e a levou aos Estados Unidos e a países como Brasil, Índia, Paraguai e México, comparando as virtudes proclamadas dos OGM com a realidade de camponeses mergulhados pelas dívidas com a multinacional, de moradores das imediações das plantações pessoas que sofrem com problemas de saúde ou de variedades originais de grãos ameaçadas pelas espécies transgênicas.

Marie-Monique Robin é uma famosa jornalista independente, que, em 2004, gravou um documentário sobre a Operação Condor chamado "Esquadrões da Morte: A Escola Francesa"- para o qual entrevistou vários dos maiores repressores das ditaduras militares dos anos 70.




--


Próximas Exibições

23/06/2010
Ponto de Mutação
EUA, 1990, 110 min
Direção: Bernt Capra



30/06/2010
Lançamento do documentário "Dias no tempo"
Direção: Carolina Berger
Digital, 2010, 37', cor e preto e branco, Brasil e Argentina



--

Cineclube Lanterninha Aurélio

Debates e sessões - quartas-feiras - 19 horas - Entrada Franca
Auditório João Miguel de Souza
Rua: Professor Braga, 55 - 3º andar - Centro - Santa Maria / RS

55 3221 9165
55 322 8544


cineclubelanterninhaaurelio@gmail.com
www.twitter.com/cinelanterninha
www.cineclubelanterninhaaurelio.blogspot.com

www.mma.gov.br/sitio

www.circuitotelaverde.blogspot.com
www.comiteambientalufsm.blogspot.com

Necon exibe nesta quinta-feira o filme Estranhas Relações



O Núcleo de Estudos Contemporâneos (Necon) exibe nesta quinta-feira (17/06) o filme “Estranhas Relações”. A sessão será às 14h30min, na sala 2243 do Centro de Ciências Sociais e Humanas (CCSH) – prédio 74 do campus da UFSM. Logo depois da exibição, haverá um debate com a mestranda em Ciências Sociais Francine Nunes da Silva.

A entrada é gratuita e será fornecido certificado de 4 horas para aqueles que participarem da atividade. Ela é promovida pelo projeto Antropologia e Cinema IV.

Estranhas Relações (Contact / Partners / 18 Minutes in Albuquerque)

EUA, 1992, 93 minutos

Direção – Jonathan Darby, Peter Weller, Peter Geiger

Sinopse – Reunião de três curtas-metragens que mostram situações marcadas por encontros e desencontros. Em “Contact”, dois soldados inimigos lutam pela sobrevivência no deserto; em “Partners”, jovem advogado reencontra ex-namorada dos tempos de escola; em “18 Minutes in Albuquerque”, rapaz tem pouco tempo para transar com prostituta que conhece numa parada de ônibus de estrada.

Apagão Ambiental: seria cômico, não fosse trágico

Deputado Aldo Rebelo superou seu próprio discurso anti-ambiental. Quem achava que se tratava apenas de jogo de cena quebrou a cara. Em sessão concorrida da Comissão Especial do Código Florestal desta terça-feira, 08 de junho, apenas três dias após o Dia Internacional do Meio Ambiente, o deputado apresentou e leu parte do seu canhestro relatório. Em leitura enfadonha e desqualificando de forma autoritária as organizações e inclusive os técnicos da sociedade civil contrários ao seu posicionamento o Deputado Aldo ofereceu seu tão esperado relatório para praticamente revogar o Código Florestal brasileiro.

Citando de Malthus, a Luiz Gonzaga, o Deputado Aldo demonstrou grande sensibilidade para as teses mais arcaicas do ruralismo do século passado. Comprovou também que não tem nenhuma responsabilidade para com o patrimônio público (ambiental), o Estado de Direito e a Função Social da Terra, teses consagradas na nossa Constituição Federal e caras aos comunistas (neste caso- ex-comunista). Conseguiu (pasmem!) apresentar um relatório muito mais condescendente com os infratores ambientais do que o apresentado pelo Deputado Moacir Micheletto, há mais de 10 anos atrás, e que lhe rendeu o apelido de deputado Moto-serra cunhado por organizações não Governamentais participantes da Campanha SOS Florestas.

Sem maiores delongas, os aspectos mais graves da proposta de Código Florestal TOTAL-Flex de Aldo Rebelo são:

1) Anistia geral e irrestrita a todo desmatamento ilegal ocorrido até julho de 2008 cancelando multas, suspendendo embargos e permitindo que ocupações ilegais recentes em Área de Preservação Permanente e Reserva Legal sejam beneficiadas com a manutenção das atividades até que o governo elabora plano de recuperação ambiental.

2) Inverte de forma inconstitucional a responsabilidade pela elaboração de planos de recuperação de áreas objeto de dano ambiental decorrente de crime ou infração atribuindo obrigações ao poder público para elaborar os Planos de Recuperação Ambiental.

3) Permite que os Estados possam reduzir em até 50% as dimensões das áreas de preservação permanente.

4) Revoga a exigência de Reserva legal para as propriedades com até quatro módulos rurais (ex.: 600 hectares na Amazônia), permitindo com isso mais desmatamentos em todos os biomas em todo País.

5) Concede mais 35 anos para a recomposição de RL (pelo Estado) quando esta for exigível. Os trinta anos começaram a contar em 2000, com a MP 2166, mas a proposta é de renovar esse prazo.

6) Abre a possibilidade, sem qualquer critério técnico previamente estabelecido, aos estados e até mesmo municípios de declararem empreendimentos como de utilidade pública para fins de desmatamento em qualquer categoria de área de preservação permanente.

7) Suspende todos os termos de compromissos e de ajustamento de conduta para cumprimento do código florestal já assinados entre produtores rurais e órgãos ambientais em todos os biomas do País.

Além do que foi acima descrito o Deputado Aldo ainda propõe em seu relatório:

A) Em rio com até 5 metros de largura (rios mais vulneráveis a poluição e erosão) a APP passa a ter limite máximo de 5 metros de APP (hoje essa margem é de 30 metros de largura). Com isso abre a possibilidade para novos desmatamentos.

B) A definição de APP em áreas de várzea passa a ser definida pelos estados pois deixa de ter um parâmetro geral federal.

C) No caso de ocupação de área com vegetação nativa entre 25-45° de declividade, que hoje é limitada, a competência para autorizar uso é retirada do órgão ambiental e é atribuída a um órgão de pesquisa agropecuária (não define qual).

D) Formações campestres amazônicas (campinarana, lavrados) passam a ter Reserva legal de 20% (até então aplicava-se a elas o percentual de 35% como cerrado).

E) Permite o cômputo total da APP na reserva legal, mesmo que estejam desmatadas (em processo de regeneração).

F) ZEE pode regularizar desmatamentos ilegais ocorridos até julho de 2008.

G) Permite recomposição de RL com espécies exóticas a critério do órgão estadual (deixa de exigir parâmetro do CONAMA).

H) Desonera empreendimento de interesse público em área rural no entorno de lagoa de ter Reserva Legal, sem definir o que sejam empreendimentos de interesse público (por exemplo condomínios privados podem ser declarados por prefeituras como de interesse público).

I) Permite a compensação financeira para regularização de reserva legal (a lógica do desmate, ocupe, lucre e pague).

J) A averbação de reserva legal deixa de ser obrigatória até que o poder público elabore o PRA.

k) Propõe a recomposição voluntária de Reserva Legal até que o Poder Público apresente o PRA.

L) Permite a consolidação de ocupação em áreas urbanas de risco (margem de rios, topos de morros e áreas com declividade).

Em seu discurso rococônico com citações desconexas que viajam forçadamente de Epicuro a Guimarães Rosa, o Deputado Aldo deixou claro e sem constrangimento que não entende nada e não tem nenhuma responsabilidade com o equilíbrio ambiental no Brasil. Defende o princípio da arrogância humana, que se coloca acima de tudo e de todas as demais espécies e que com sua razão tudo pode. Para ele o Brasil é sobretudo o celeiro do mundo e todos os que não se rendem a essa visão míope e parcial das realidade do país são por ele taxados de inimigos da nação. Infelizmente esse é o cenário que teremos que enfrentar no Congresso Nacional nos próximos dias.

Por isso amigos acompanhem, mandem mensagens e liguem para os seus deputados, e participem das Campanhas SOS Florestas: www.sosflorestas.org.br/ e Exterminadores do Futuro www.sosmatatlantica.org.br

_____________________________________________________________

Artigo escrito em 08 de junho de 2010 por André Lima, advogado, formado pela Universidade de São Paulo (1994), mestre em Gestão e Política Ambiental pela UnB, Coordenador de Políticas Públicas do IPAM e Diretor de Assuntos Parlamentares do Instituto O Direito por um Planeta Verde. Foi Coordenador Jurídico da SOS Mata Atlântica entre 1994 e 1997, Coordenador de Política e Direito Socioambiental do ISA entre 1997 e 2007 e Diretor de Políticas de Controle dos Desmatamentos no Ministério de Meio Ambiente entre 2007 e 2008.

Friday, June 11, 2010

Barcelona Bar & Danceteria

SEXTA-FEIRA, dia 11
Kauê Muniz e Garcia
+
DJ de música eletrônica
R$ 5 (estudantes)
R$ 10 (demais)


SÁBADO, dia 12
Patrick Cortez e Aline
+
DJ de música eletronica
R$ 10
__

*Proibida entrada de menores de idade. Favor apresentar identidade*

Barcelona Bar&Danceteria (Barão do Triunfo, 1972, entre as avenidas Presidente Vargas e Medianeira)

a melosa agenda macondo lugar

Sexta 11/06 - Rinoceronte

A volta triunfal da banda mais foda de Santa Maria, depois de um giro por 4 estados do Brasil e a passagem por alguns dos mais importantes festivais independentes da atualidade. Simplesmente inadmissível não conferir o rock n'roll "puro & pesado" da Rinoceronte!!!

Início: 23h
Ingresso: R$ 8
Free para estudantes até a meia-noite



Sábado 12/06 - Bubblegum versão "Dia dos namorados"

Edição especial da festa pop mais amada da cidade, num clima de enamoramento...vão chover corações na pista do Macondo!!!

Início: 23h
Ingresso: R$ 10


Macondo Lugar
Serafim Valandro 643
Santa Maria - RS


www.macondolugar.com.br

Tuesday, June 08, 2010

Ciclo: Eu consumo, tu consomes... o mundo / Cineclube Lanterninha Aurélio

Cineclube Lanterninha Aurélio
Projeto Cultural CESMA - Santa Maria/RS - Desde 1978
Filiado ao CNC - Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros

No mês de aniversário do Cineclube Lanterninha Aurélio e da CESMA.
Apresentamos o “Ciclo: Eu consumo, tu consomes... o mundo” a partir de várias facetas sobre a questão do consumo e exploração de recursos. Em pareceria com o Projeto Sala Verde do Ministério do Meio Ambiente e da SV - Comitê Ambiental da CEU II – Universidade Federal de Santa Maria.


Dentro da programação especial de aniversário da cooperativa, no dia 30 de junho ocorrerá o lançamento do documentário “Dias no tempo” de Carolina Berger.


Ciclo: Eu consumo, tu consomes... o mundo.

02/06/2010
Paragem do tempo
Direção e Roteiro : Carolina Berger
Brasil, 2009, 52 min


O tempo naquelas paragens não é só o que ficou de uma história de ciclos de exploração do subsolo e de lembranças de prosperidade. É como a mudança insiste em agir e como a espera transforma sem anunciar. Como em tantos outros “cantos de mundo”, naquele lugar, a volta dos “velhos tempos” ainda é aguardada.
O filme foi apresentado pela TVE-RS e TV Cultura em junho de 2009 na série DOCTV e teve uma única sessão de pré-estréia nas Minas do Camaquã, local onde o documentário foi realizado.

A localidade de Minas do Camaquã chegou a ser considerada a uma das principais fontes que levariam à emancipação do cobre nacional. Hoje, o conflito sócio-ambiental causado por esse modelo é latente: quem vive “na mina” é constantemente alimentado pela expectativa coletiva de um novo ciclo de mineração e consequente volta da estabilidade econômica.

A não-ficção “Paragem do tempo” mostra a pequena vila nos dias de hoje e como a sua população sofre as conseqüências desta ideologia: uma degradação ambiental irreversível e uma massa de operários sem emprego e sem moradia depois da paralisação da extração mineral, em 1996. E é por esta relação entre prosperidade no passado e estagnação no presente que surge o sentido universal do documentário: da dinâmica em ciclos da atividade mineradora, se forma uma percepção da natureza cíclica do tempo.

O “Paragem do tempo” faz parte da série DOCTV IV, concurso de produção de documentários financiado pelo Ministério da Cultura, pela Associação Brasileira das Emissoras Públicas Educativas e Culturais e pela Fundação Cultural Piratini – TVE-RS e foi o segunda produção da série exibida em rede nacional, em televisões públicas.



09/06/2010
A história das coisas (The Story of Stuff')
Direção: Louis Fox
EUA, 2007, 21 min


Discorre sobre os processos produtivos de praticamente todas as coisas do mundo.
O vídeo mostra de forma bastante didática, como nos transformamos em consumistas e somos bombardeados pela comunicação e propaganda de moda, tendências, eletrônicos, entretenimento. Vemos que nos Estados Unidos praticamente tudo o que se produz torna-se lixo em no máximo seis meses.


Surplus - Terrorized Into Being Consumers
Direção: Erik Gandini
Suécia , 2003, 51 min


O documentário Surplus mostra os excessos da atual produção em massa e o consumo desenfreado que afligem a maioria dos paises e culturas mundiais e os problemas que vem sendo causados ao meio ambiente e para todos que estão nele. John Zerzan é considerado o Guru da anti-globalização e o produtor Eric Gandini se baseia nos pensamentos de Zerzan para mostrar a destruição das reservas naturais e do meio ambiente que vem sendo causada pela vida consumista que vivemos.




16/06/2010
Série: Memórias do Meio Ambiente
Episódio: José Lutzemberger - um pioneiro em Gaia
Brasil, 2002, 32 min
Direção: Anna Terra e Ricardo Carvalho Brasil


Ecologia e Comunicação em parceria com TV Cultura de São Paulo.
Escolhida como Melhor Série Televisiva pelo resgate da vida e da obra de personagens fundamentais à compreensão do movimento ambientalista brasileiro, num trabalho que também foi especialmente formatado para uso em salas de aula, com material didático apropriado.

Lutzenberger foi um pioneiro. No início dos anos 70 já falava do planeta como um ser vivo e apresentava aos brasileiros a Teoria de Gaia.
Alertava para os perigos de maltratar este ser vivo do qual fazemos parte e com rara coragem se expunha e brigava contra os poderosos usando suas armas preferidas: o profundo conhecimento científico, a precisão da palavra e a emoção de quem defende a vida. Sua luta mais recente tinha como alvo os transgênicos.

Não teve tempo de divulgar seus escritos contundentes contra esta prática que coloca em risco a produção de alimentos no planeta e pode acabar de vez com o pequeno agricultor. Mas deixou herdeiros de seus conhecimentos e, acima de tudo, de sua coerência. Os brasileiros conscientes e as gerações futuras agradecem e reverenciam José Lutzenberger, um pioneiro em Gaia.


O mundo segundo a Monsanto (Le monde selon Monsanto)
Direção: Marie-Monique Robin
Paris , 2008, 109 min

O documentário "O Mundo segundo a Monsanto" traça a história da principal fabricante de organismos geneticamente modificados (OGM), cujos grãos de soja, milho e algodão se proliferam pelo mundo, apesar dos alertas de ambientalistas.
A diretora, a francesa Marie-Monique Robin, baseou seu filme - e um livro de mesmo título - na empresa com sede em Saint-Louis (Missouri, EUA), que, em mais de um século de existência, foi fabricante do PCB (piraleno), o agente laranja usado como herbicida na guerra do Vietnã, e de hormônios de aumento da produção de leite proibidos na Europa.

O documentário destaca os perigos do crescimento exponencial das plantações de transgênicos, que, em 2007, cobriam 100 milhões de hectares, com propriedades genéticas patenteadas em 90% pela Monsanto.

A pesquisa durou três anos e a levou aos Estados Unidos e a países como Brasil, Índia, Paraguai e México, comparando as virtudes proclamadas dos OGM com a realidade de camponeses mergulhados pelas dívidas com a multinacional, de moradores das imediações das plantações pessoas que sofrem com problemas de saúde ou de variedades originais de grãos ameaçadas pelas espécies transgênicas.

Marie-Monique Robin é uma famosa jornalista independente, que, em 2004, gravou um documentário sobre a Operação Condor chamado "Esquadrões da Morte: A Escola Francesa"- para o qual entrevistou vários dos maiores repressores das ditaduras militares dos anos 70.




23/06/2010
Ponto de Mutação
EUA, 1990, 110 min
Direção: Bernt Capra


Um político estadunidense vai à França visitar um velho amigo poeta. Lá, conhecem uma cientista desiludida com os rumos tomados pela ciência. Após descobrir que suas pesquisas com microlasers estavam sendo utilizadas no projeto americano Guerra nas Estrelas, ela decidiu isolar-se em um vilarejo francês para repensar a vida. E nesse encontro , juntos, tecem uma profunda discussão sobre ecologia, guerra, política e filosofias alternativas para o século XXI

Baseado no livro beste-seller The Turning Point (Ponto de Mutação) do físico austríaco Fritjof Capra. Ele é um típico teórico do ambientalismo do Terceiro Milênio. Tem um aprofundado saber técnico (é PhD em física quântica, com pesquisas em Teoria de Sistemas Complexos) e dá uma compreensão holística a esses conhecimentos, interpretando-os à luz da ecologia.



-----

30/06/2010
Lançamento do documentário “Dias no tempo”
Direção: Carolina Berger
Digital, 2010, 37’, cor e preto e branco, Brasil e Argentina



Sinopse

“É no mínimo curioso o fato de eu estar vivendo aqui, de estar nesta esquina, vendo outro prédio no lugar do imponente hotel onde ele costumava ficar.”
Foi na esquina celebrada pelo tango “Corrientes y Esmeralda” que Carolina passou a se questionar sobre o fato de estar vivendo em Buenos Aires. Naquela esquina ficava o hotel onde seu bisavô parava, em suas longas estadas na capital argentina, há 60, 70 anos. Distante de casa, distante da Buenos Aires conhecida por outras gerações de sua família, Carolina passa a buscar, na cidade de sua experiência, resquícios de outros tempos. O que encontra é uma metrópole latino-americana onde a solidão é a implacável resposta para quem espera sentir-se em um lugar familiar.

Dias no tempo parte de uma história privada para construir uma autoficção que, em tom de ensaístico, promove uma série de conexões entre Brasil e Argentina, entre o campo e a cidade, entre a memória e a imaginação. Um experimento que coloca em cena a diluição dos conceitos de identidade e realidade.

A produção

Dias no tempo foi produzido em diferentes etapas. O projeto do documentário começou a ser elaborado em 2005, na cadeira de Roteiro II – ministrada pelo professor Jorge La Ferla - do Mestrado em Documentário Cinematográfico, na Universidad del Cine – Buenos Aires, Argentina.

Entre os anos 2005 e 2006 foram feitas as primeiras gravações, na cidade de Buenos Aires, com apoio da Universidad del Cine, que forneceu equipamento e material sensível. Em 2009, já com parte da montagem concluída, foram captadas mais imagens em Buenos Aires e na localidade conhecida como Seival, na região central do Estado do Rio Grande do Sul.

Todas as imagens foram gravadas em câmeras pessoais de diferentes tecnologias. As câmeras portáteis e não profissionais foram utilizadas pela necessidade estética de registro de cenas cotidianas na cidade de Buenos Aires. Algumas imagens são material de arquivo pessoal da diretora, gravadas nos anos 80, em VHS-C.

Para simular arquivos pessoais de diferentes épocas, usou-se tecnologias próprias: o Super-8 preto e branco simula as viagens de Patrício, nas décadas de 40 e 50. O Super-8 colorido, as viagens de Maria Luiza, e os suportes eletrônicos (VHS-C) e digitais (DV CAM, Mini DV, e vídeos registrados com câmeras fotográficas) foram usados para os registros cotidianos de Carolina, no período contemporâneo.




Ficha técnica

Roteiro
Carolina Berger

Direção e Produção
Carolina Berger

Direção de fotografia e câmera
Carolina Berger
Jorge Flores Velasco
Gomar Fernández (Super-8)

Trilha Sonora Original
Pirisca Grecco

Edição
Carolina Berger

Desenho de som e Mixagem
Cristiano Scherer

Coordenação de Pós-produção
Álvaro de Carvalho Neto

Pós-produção de imagem
Álvaro de Carvalho Neto

Assistentes de produção
Airton Guilherme Berger, Raquel Schefer, Rosa Domingo Bernaus e Paola Interlandi

Material de arquivo adicional (DV CAM)
Carolina Berger e Raquel Schefer

Produção gráfica
Roberto Borges

Versão e Legendas
Videoeye

Revisão de textos
Silvana Dalmaso

Laboratório revelação e Telecine de Super-8
RB Movie House

Estúdio Digitalização de áudio
Tech Áudio

Buenos Aires – 2006 e 2009
Caçapava do Sul – Seival – 2009
Finalização – Santa Maria - 2010

Financiamento
Prefeitura Municipal de Santa Maria – Lei Municipal de Incentivo à cultura
Fundación Universidad del Cine

Apoio Cultural
Yázigi Internexus
Viação Centro Oeste
Transportes Salgado Filho
Riachuelo Pré-Vestibular

--

Cineclube Lanterninha Aurélio / CESMA Vídeo

Debates e sessões - quartas-feiras - 19 horas - Entrada Franca
Auditório João Miguel de Souza
Rua: Professor Braga, 55 - 3º andar - Centro - Santa Maria / RS

55 3221 9165
55 322 8544

cineclubelanterninhaaurelio@gmail.com
www.twitter.com/cinelanterninha
www.cineclubelanterninhaaurelio.blogspot.com


www.mma.gov.br/sitio

www.circuitotelaverde.blogspot.com

www.comiteambientalufsm.blogspot.com



















3 Festival de Teatro Independente de Santa Maria - Mostra Nacional e Internacional


Apresentação

Em sua terceira edição, o Fetism - Festival de Teatro Independente de Santa Maria - assume um novo perfil. Se antes o evento tinha como característica principal a competição entre espetáculos, submetidos à avaliação de um júri formado por profissionais da área, agora trata-se de um festival cujo valor maior reside no estímulo à circulação de grupos teatrais.

Inserindo definitivamente a cidade no circuito de artes cênicas do país e abrindo suas portas também para espetáculos internacionais, o Fetism pretende evidenciar o que de melhor se produz na esfera do teatro independente, constituindo-se num canal de democratização do acesso à arte e à cultura.


Para tanto, explora não só os palcos tradicionais da cidade, mas também a praça, espaço público por excelência: é a I Mostra de Teatro de Rua de Santa Maria, que integra a programação do festival em 2010. Em consonância com o esforço coletivo que resulta na realização do Fetism, também toda uma estratégia de comunicação, voltada para o registro e a veiculação das informaçãoes sobre o evento, foi montada. Uma equipe de mais de vinte pessoas compõe o Núcleo de Cobertura Colaborativa, um laboratório social já presente em outras produções do Macondo Coletivo.

O Fetism 2010 orgulhosamente apresenta suas atrações: espetáculos e oficinas teatrais, sendo elas especificas nas técnicas de clown, bufão e dramaturgia do ator.


Programação Espetáculos Nacionais e Internacionais
com ENTRADA FRANCA + Oficinas


--

Dia 10/06, às 20:30h
no Espaço Cultural Victorio Faccin (TUI)


Play-Beckett
Grupo Jogo de Experimentação Cênica (PoA)

Blog: http://grupojogo.blogspot.com
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=srblfROTiAw

Direção, Concepção e Roteiro: Alexandre Dill e Igor Pretto. Textos:Samuel Beckett.Coreografia e Iluminação: Igor Pretto.Atuação: Alexandre Dill e Gustavo Susin. Duração:50 minutos.

Release: Play-Beckett tem como fio condutor “Esperando Godot” e outros poemas de Samuel Beckett”. X e Y, variáveis matemáticas inacabadas, personagens patéticas, como a representação do homem eternamente à espera de algo ou de alguém que satisfaça às suas aspirações. Vagabundos no reinado da espera manca, a degradação física, a falta de sentido lógico nas sucessões banais, personagens hieróglifos incapazes de comunicar-se com o restante da humanidade.

--

Dia 11/06, às 20:30h
no Espaço Cultural Victorio Faccin (TUI)

A Ida ao Teatro
Teatro Universitário Independente TUI (Sta Maria)

Blog: http://tuiteatro.blogspot.com

Direção: Coletiva. Textos: Karl Valentim. Elenco: Cristiano Bittencourt, Inês Roratto, Marcele do Nascimento. IIuminação e Sonoplastia: Ricardo Martel. Duração: 35 minutos.

Release: A Ida ao Teatro, texto do dramaturgo Karl Valentim trata-se de uma peça cômica, o enredo perpassa pelas relações e a comunicação de um casal, ou a falta de comunicação, e os espectadores são convidados a embarcarem no universo clawnesco que apresenta um texto repleto de gags e quiprocós verbalizados que de maneira caótica convida a todos a refletir a proposta dos comediantes alemães e soviéticos do período entre as duas grandes guerras.

--

Dia 12/06, às 20:30h
no Espaço Cultural Victorio Faccin

Uma Estória Abensonhada
Teatro Camaleão (Sta Maria)

Blog: www.teatrocamaleao.com
Vídeo Youtube:http://www.youtube.com/watch?v=GDUNiDSk_8E

Release: “Uma Estória Abensonhada” encena a história do comerciante Mohamed Pangi Pathel, que despende sua fortuna para festejar, em praça pública, o matrimônio de seu único filho. Durante os festejos o vilarejo enche-se de comida, música e felicidade. Desgostoso, o noivo passa a preocupar-se com a totalidade das despesas. Em final surpreendente, Mohamed revela-nos os reais motivos de tamanha celebração.

--

Dia 13/06, às 20:30h
no Espaço Cultural Victorio Faccin

Abajur Lilás

Teatro Por Que Não? (Sta Maria)
Blog: http://www.teatro-porquenao.blogspot.com


Direção: Felipe Martinez. Assistente de Direção: Rafaela Costa. Elenco: Aline Ribeiro, Cauã Kubaski, Deivid Machado Gomes, Juliet Castaldello, Luiza De Rossi. Iluminação: Rafaela Costa. Maquiagem: Teatro Por Que Não? Figurinos: Cândice Lorenzoni e Teatro, Por Que Não?. Cenografia: Marcos Paiani.Sonoplastia: André Galarça. Duração: 65 minutos.

Release: A amarga realidade brasileira de forma explícita diante do público, que se faz cúmplice da violência de uma parcela da sociedade que vive em situações extremas. Prostitutas submetidas a opressões, humilhações e torturas de um inescrupuloso homossexual, dono do prostíbulo, e seu violento serviçal. O valor da vida reduzido a menos que um abajur lilás.

--

Dia 14/06, às 16h
na Praça Saldanha Marinho

La Perseguida
Teatro VagaMundo (Sta Maria)


Blog: teatrovagamundo.wordpress.com
Vídeo Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=WvxSNuRsaeI


Direção: Gabriela Amado. Atuação: Daniel Lucas. Trilha Sonora: Márcio Echeverria. Ilustração Gráfica: Paulo Trarbach. Produção Artística: Teatro VagaMundo. Duração: 60 minutos

Release: O Palhaço Rabito chega com seus apetrechos preparado para um grande acontecimento. Depois de hoje sua vida, e a do público, não será mais a mesma... Rabito é um palhaço da vida, daqueles que vagam pelo mundo a dissipar alegrias. Movido pela embriaguez da paixão, o palhaço que ama demais confronta-se com a sua irrisória estupidez, hoje, outra vez...

--
dia 15/06, às 14:30h
na Praça Saldanha Marinho

O Homem Banda

Cia Umpédedois (Poa)
Blogs:
http://maurolauropaulo.blogspot.com
http://ciaumpededois.blogspot.com/2009/03/divagar-se-vai-longe-e-de-bicicleta.html
Vídeo Youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=wudv21Cauos
http://www.youtube.com/watch?v=VecTa11cpqY

Criação e Atuação: Mauro Bruzza. Duração: 40min

Release: Quando ao longe se escuta um harmonioso acordeon acompanhado de chocalhos, pratos, bumbos e apitos... E imagina-se que aí vem a banda! E vem mesmo, mas não uma banda comum e sim uma banda inteira orquestrada apenas por um homem só! É ele, Maurolauropaulo quem chega... Um músico inventor, que apresenta sua profunda crise de personalidade através de um espetáculo e uma parafernália cheia de sonoridades!!

--

Dia 16/04, às 16h
na Praça Saldanha Marinho


Ao Divagar se Vai Longe e de Bicicleta Mais Ainda...
Cia Umpédedois (PoA)

Blogs: http://ciaumpededois.blogspot.com

Artistas: Mariana Ferreira e Mauro Bruzza. Orientação Inicial: Melissa Dornelles. Figurinos: Patrícia Preiss. Duração: 50 minutos.

Release: E tudo sobre verdadeira história de amor entre Camomila e Quindim!! Desde quando incessantemente pedalavam pelas ruas a procura do lugar perfeito. Até o justo momento em que encontraram e, diante a todo um público, já nem sabiam mais o que buscavam! O momento em que, entre malas, malabarismos e acrobacias, eles descobrem sobre tudo o que sempre esteve bem ali, debaixo de seus próprios narizes vermelhos... Eles se Amam a Adoram andar de Bicicleta!!

--

Dia 17/06, às 20:30h
Theatro Treze de Maio


Abanico de Soltera
Tea Teatro (Buenos Aires - Argentina)

Blogs: abanicodesoltera.blogspot.com

Direção: Horacio Medrano. Texto e Interpretação: Andrea Juliá. Assistente de Direção: Rodrigo Medrano. Manipulação de Objetos: Itatí Figueroa. Cenografia: Martín Parede e Miguel Angel Nigro. Figurino e Objetos Cênicos: Miguel Angel Nigro. Música:Gustavo Testa. Assessoramento de Flamenco: Perla Fernández. Duração: 55 minutos.

Release: Los textos se deshojan como la flor que se marchita en la espera del amor. Una mujer se lanza al abismo del universo lorquiano. Sus palabras se funden con la danza, y los objetos invaden la escena como pequeños trampolines invisibles a través de los cuales el duende juega con el amor desafortunado y desafía a la muerte. En la piel de esa mujer habitan los fantasmas de los personajes del poeta que recitan sus últimas y solitarias horas. La música hilvana los recuerdos que, como retazos deshilachados por la memoria se mezclan con la poesía. “Abanico de Soltera” ...un homenaje al gran poeta granadino, Federico García Lorca.

--

Dia 18/06, às 20:30h
Theatro Treze de Maio


Maldito Coração: me alegra que tu sofras (PoA)

Direção: Mauro Soares. Texto: Vera Karam. Atuação: Ida Celina. Cenário e Figurino: Alexandre Magalhães e Silva. Maquiagem:Regina Goulart. Iluminação: João Acir. Trilha Sonora: Vera Karam. Produção: Fernando Zugno. Duração: 45 minutos.

Release: Uma mulher de meia idade conta o cotidiano de sua vida amorosa às pessoas que supostamente estão circulando no mesmo espaço onde se encontra. À medida que a personagem desnuda as razões que a fizeram chegar aquele local, com comentários onde o humor se alterna com emoções intensas, o público vai montando as partes de uma história onde fatos ambíguos oscilam entre a realidade e a fantasia. Através de um interessante jogo cênico que explora o carisma da personagem, cada um é levado a identificar em suas próprias vivências a natureza sutil do limite entre esses dois mundos. O desfecho, inesperado e insólito, contribui para que o público leve consigo algumas indagações sobre as loucuras de que o coração é capaz.

--

Dia 19/06, às 20:30h
no Theatro Treze de Maio


La Tragedia
La Escalera (Puerto Madryn/ Chubut/Patagonia/Argentina)


Direção: Carlos María Ríos. Assistente de Direção: Alejandro Marino. Elenco: Maribel Bordenave e Cristina Busto. Cenário: A. Marino, R. Linari e C. M. Ríos. Figurino e Caraterização: Nadia Krowicki. Iluminação: Ezequiel Canosa e Carlos María Ríos.Música Original: Alejandro Marino. Cantora: Gabriela Coniglio. Duração: 45 minutos.

Release: En escena se encuentran Antígona e Ismena, ambos personajes cuentan la historia que las contiene y que a su vez las desestabiliza. Evidentemente la muerte de sus hermanos en batalla (Eteocles y Polinice) no pasa desapercibida ni para las leyes del estado ni para las leyes o normas familiares y las consecuencias del accionar de cada una de ellas precipitan un final abrupto.

--


Oficinas


1 - Monsieur “Flop” - Oficina de Clown
Ministrante: Luana Rodrigues Michelotti
Datas: 12/06 (16h às 19h), 13/06 (9:30h às 12:30h /14:00 às 18:00)
Local: Ateliê da Gare
Vagas: 20 + 3 carentes
Inscrições: R$ 80 - R$ 60 (estudantes)


2 - O Ator e o Bufão
Ministrante: Luana Rodrigues Michelotti
Datas: 14/06 (9:30 às 12:30h / 18:00h às 22:00h) e 15/06 (9:30h às 12:30h)
Local: Espaço Cultural Victorio Faccin (TUI)
Vagas: 20 + 3 carentes
Inscrições: R$ 80 - R$ 60 (estudantes)


3 - Dramaturgia del Actor
Ministrante: Horacio Mendrano e Andrea Juliá
Datas: 16/06 e 17/06 (9:00h à 13:30h)
Local: Espaço Cultural Victorio Faccin (TUI)
Vagas: 20 + 3 carentes
Inscrições: R$ 80 - R$ 60 (estudantes)




FICHA TÉCNICA

Realização
Macondo Coletivo
Cia Teatro de Bolso

Concepção, Coordenação Geral e Curadoria
Cláudia Schulz e Vanessa Giovanella

Pré-Produção e Captação de Recursos e Apoios
Cláudia Schulz
Desirée Tibola
Elias Maroso
Jeferson Bernardo Hengelmann
Luise Scherer Carvalho
Márcio Carvalho
Vanessa Giovanella

Assessoria Jurídica:
Lucia Dalmaso

Receptivo
Cláudia Schulz
Daniela Varotto
Vanessa Giovanella

Programação Visual - Criação e Elaboração
Elias Maroso

Mestres de Cerimônia
Deivid Machado Gomes
Luise Scherer Carvalho
Marcele do Nascimento
Tiago Gonçalves Teles

Equipe de Divulgação
Alessandra Giovanella
Felipe Martinez
Juliet Regina Castaldello
Leonardo Palma
Lucia Dalmaso
Luise Scherer Carvalho
Luiza Lemos de Rossi
Talita Tibola

Inscrições de Oficinas
André Galarça

Monitores de Oficina
Daniela Varotto
Luise Scherer Carvalho
Juliet Regina Castaldello

Mediação de Debates
Daniela Varotto
Vanessa Giovanella

Equipe de Camarim
Cláudia Rocha
Juliet Regina Castadello

Equipe de Apoio
Eduardo Augusto Colombo
Evandro Fonseca
Paulo Noronha
José Neto
Chumbus


Cobertura Colaborativa

O Festival de Teatro Independente de Santa Maria ocorre de 10 à 19 de junho de 2010 e pela primeira vez contará com uma cobertura colaborativa. Este blog será o principal veículo de difusão!


Mas afinal o que é Cobertura Colaborativa?

É um exercício de produção multimídia onde várias pessoas de diferentes áreas do conhecimento se unem para cobrir um evento coletivamente. O objetivo é divulgar as informações, dando espaço à variedade de olhares sobre o mesmo acontecimento. A produção de conteúdo, utilizando diferentes mídias como texto, foto, vídeo e áudio, ocorre com organização prévia e a divisão de tarefas se encaixa às competências individuais. O ritmo de criação, publicação e divulgação pela web dos materiais produzidos, visa acompanhar o ritmo em que as atividades do evento acontecem.
Com o intuito de articular e fomentar a circulação de informações de maneira descentralizada, uma cobertura colaborativa compartilha o que vê e o que faz em âmbito nacional e internacional, buscando assim, carimbar seu nome no cenário independente.

Nesta cobertura colaborativa em especial o público poderá acompanhar uma Rádio Web com o programa Mamulengo, onde convidados irão debater, conversar e discutir sobre assuntos paralelos aos espetáculos e às oficinas, mas que estão inseridos no contexto da cultura e do teatro. Serão 10 programas transmitidos ao vivo antes de cada espetáculo - à noite das 19h30min às 20h15min e à tarde das 15h às 15h45min - diretamente do Espaço Cultural Victorio Faccin, da Praça Saldanha Marinho e do Theatro Treze de Maio (conforme a programação).

Cerca de 26 pessoas estão trabalhando na cobertura colaborativa do 3º FETISM. Acompanhe nesse blog o resultado, critique, elogie, passe adiante!

EQUIPE DA COLABORATIVA

Andressa Quadro
Ariane Nogueira
Atílio Alencar
Bianca Riet Villanova
Cacau
Carolina Moro da Silva
Denis Carrion Oliveira
Diogo Reck Figueiredo
Fernando Pinto Weiblen
Gabriela Loureiro
Gabriela Perufo
Henrique Coradini
Igor Borges Müller
Ivan Lautert
João Pedro Wizniewsky Amaral
Lucas Figueiredo Baisch
Marcelo Cabala
Marcelo De Franceschi
Nathália Schneider
Rafael da Rosa Balbueno
Rafael Dezorzi
Rafael Salles
Rodrigo Ricordi
Sarah Oliveira Quines
Talita Tibola
Tiago Gonçalves Teles


Quer colaborar também?
Envie fotos, vídeos e textos sobre o festival para o endereço fetism.rs@gmail.com. Sua produção será publicada com os devidos créditos.


http://fetism.blogspot.com

Exposição Suporte Prático, do Coletivo Esmero (POA) de 07/06 - 25/06


No SESC Santa Maria, Avenida Itaimbé, 66 Centro.


O coletivo é composto pelos artistas: Jéssica Albuquerque , Luísa Hervé, Vivian Dall'Alba e Vital Lordelo, teve sua formação em de Novembro de 2009 e tem uma parceria com o Espaço Cultural Balaio das Artes, Otávio Correia, 35 Cidade Baixa em Porto Alegre, onde ambientou a Sala Palavras, espaço voltado a literatura e ao debate, do centro cultural.

A exposição Suporte Prático vem para expor criações presentes no cotidiano imaginário que fazem parte do processos criativos de cada artista. Elas se materializam em seus sketchbooks e ou livros de artista, objetos únicos que possibilitam uma aproximação ao artista como local para desdobrar e alojar de suas ideias e conceitos, abrindo fronteiras entre a literatura e as artes visuais o livro objeto e o objeto arte.
O desafio se opõe à praticidade do suporte, de criação e possibilidades limitadas apenas ao espaço da encadernação mas ao mesmo tempo de fácil transporte, possibilitando que qualquer lugar seja um espaço de produção e exercicio do pensar em um processo ou obra, ou mesmo considerar o suporte como obra acabada.


Vital Lordelo

Coletivo Esmero : http://www.flickr.com/photos/esmero
Flickr :http://www.flickr.com/photos/dom_vital
email: vitallordelo@gmail.com


Friday, June 04, 2010

Um ensaio sobre a passagem do tempo

Um ensaio sobre a passagem do tempo

Em ‘Paragem do Tempo’, diretora santa-mariense revisita Minas do Camaquã

Por Francisco Dalcol


Entre a rapidez e a lentidão, a noção da passagem do tempo pode ser percebida de diferentes maneiras. Ao produzir um documentário sobre as Minas do Camaquã, a diretora santa-mariense Carolina Berger resolveu trabalhar essa questão. O resultado é Paragem do Tempo, que será exibido hoje na TVE-RS e na TV Cultura. Financiado pelo DocTV, do governo federal, o trabalho faz um retrato do distrito de Caçapava do Sul cuja história é contada pelos ciclos de extração mineral que ocorreram em diferentes épocas no século 20.

Assim, o cenário é o de um lugar condenando ao isolamento. Carolina não caiu no perigo de simplificar seu trabalho a uma extensa reportagem de mais de 50 minutos, recheada de depoimentos e entrevistas. Formada em Jornalismo pela UFSM, com Mestrado em Documentário Cinematográfico pela Universidad del Cine, em Buenos Aires, ela fez o que se esperava: um documentário com uma linguagem autoral e artística, em que a história, ao invés de ser contada de forma mastigada como se faz no jornalismo, é apresentada de forma sugestiva. Assim, lacunas são deixadas para levar o espectador a um exercício de imaginação.

Com seus três personagens reais e seus cotidianos, Paragem do Tempo deixa claro que estamos em um lugar decadente e abandonado que lida com a memória de um passado próspero e glorioso. Afinal, muitas de suas visões de mundo hoje são alimentadas pela comparação de como as coisas eram e de como elas ficaram. Quando as máquinas funcionavam e os operários trabalhavam na extração de cobre, a cidade vivia na velocidade de uma grande fábrica. Com o fim do ciclo mineral, nos anos 90, restou uma calmaria que imprimiu outra noção de tempo ao lugar.

No documentário, essa sensação é despertada pelos sons _ e também pelos silêncios _ e pelos planos e enquadramentos muitas vezes contemplativos. Como efeito, o filme revela a beleza natural da geografia de Minas do Camaquã.

Muito do que foi construído para a extração mineral e para dar estrutura aos trabalhadores ainda está lá:
as máquinas, o antigo cinema, as casas dos operários, as placas de ruas com nomes de engenheiros e a casa do playboy Baby Pignatari, que foi dono das minas em um dos ciclos de mineração. Como tudo pertence ao passado, salta a sensação de abandono.

Isso fica evidente quando um dos personagens visita uma antiga mina de extração mineral lembrando como o trabalho era pesado, e a vida, orientada pelas jornadas. Mas Paragem do Tempo também trabalha com a esperança e a expectativa. Ao final, um de seus personagens sugere que ainda há muito minério a ser extraído, basta alguém investir no negócio. E, se isso acontecer, poderá melhorar a vida de muita gente, especialmente dos descendentes de operários que ali vivem, perpetuando o sonho que uma geração viu ser soterrado pela estagnação econômica.

Este é o segundo documentário da diretora após o premiado Herança, que retratou o processo de arenização no pampa gaúcho. O trabalho ganhou recursos do prêmio NUFF Global _ Climate Changes, um concurso da Noruega que financia projetos com foco nas mudanças climáticas. Herança foi o melhor documentário na competição nacional do Santa Maria Vídeo e Cinema em 2007. No Gramado Cine Vídeo, levou melhor documentário independente brasileiro. E ainda foi exibido em festivais na Europa.

http://www.youtube.com/watch?v=1EaOWowdofw&feature=player_embedded

Exibição do Documentário Herança

Hoje programa Olhares às 22h30min. na TV Câmara
federal / Exibição do Documentário Herança (2007, 25min )
Direção: Carolina Berger


Herança retrata o processo de desertificação do
pampa gaúcho a partir de personagens que acompanham essa transformação.

http://migre.me/LLbc

05/06 - Sábado - Festa Santa Maria lado B

05/06 - Sábado - Festa Santa Maria lado B
+ Exposição fotográfica by Bunkermedia
+ DJs: Maxx, Phantasma & Wandeclayt
+ No telão filmes cult

The Groove Music Hall - 23 hs

Cineclube Unifra

Sábado 05/06/2010 , o Cineclube Unifra inicia um novo ciclo: Chá, café ou chocolate?, com o filme Bagdad Café. Indicado ao Oscar de Melhor Canção Original e vencedor dos prêmios César de Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Festival de Seattle, Bagdad Café mostra como pessoas totalmente diferentes podem estabelecer laços tão fortes.

As próximas atrações do ciclo Chá, café ou chocolate? são: Morango e Chocolate (dia 12), Chá com Mussolini ( dia 19) e Sobre café e cigarros (dia 26). A sessão cinematográfica acontece às 16hs, no Salão Azul do Conjunto I (Rua Andradas, número 1614). A entrada é franca.

a corpórea agenda macondo lugar

Sexta 04/06 - Stwarts

Os Stwarts passeiam pelo melhor do novo e do velho rock: de Beatles e The Who até Kings of Leon e The Killers.

Início: 23h
Ingresso: R$ 8
Free para estudantes até a meia-noite


Sábado 05/06 - Cartolas (Porto Alegre)

Uma das bandas mais aclamadas do novo rock gaúcho volta ao palco do Macondo. Com influências do rock inglês sessentista e também da safra atual de bandas britânicas, o show dos Cartolas recebe elogios eufóricos por onde passa, não deixando ninguém indiferente ao som enérgico da banda.

O show de abertura fica por conta da Sonnets, de Santa Maria.

http://www.myspace.com/cartolas

Início: 23h
Ingresso: R$ 8